segunda-feira, 21 setembro 2020

N Notícias

Projecto Vitó já identificou mais de 3.800 ninhos nos ilhéus e mais de 600 nas praias da ilha do Fogo

A associação de conservação e uso sustentável dos recursos, Projecto Vitó, identificou até o dia 31 de Agosto mais de quatro mil ninhos de desovas de tartarugas nas praias da ilha do Fogo e dos ilhéus Rombos.

A informação foi avançada à Inforpress pelo director executivo do Projecto Vitó, Herculano Dinis, sublinhando que nos ilhéus foram identificados mais de 3.800 ninhos de desovas de tartarugas e nas praias da ilha do Fogo mais de 600 ninhos, estando ainda a meio da época de desova de tartaruga, um número recorde, segundo o mesmo.

A associação Projecto Vitó tem, neste momento, em fase de implementação três grandes projectos, nomeadamente a de conservação das tartarugas marinhas (Fogo e ilhéus), de conservação das plantas endémicas (Fogo e da Brava) e outro de protecção de aves marinhas de Cabo Verde em que a associação trabalha em seis ilhas e um ilhéu.

No quadro do projecto de protecção das aves marinhas, Herculano Dinis indicou que uma nova espécie de ave marinha foi identificado nos ilhéus Rombos.

“Cabo Verde já contava com nove espécies de aves marinhas reprodutoras, além de várias outras que passam, mas que reproduzem e são nativas, são nove espécies, sendo que uma, a Fragata, está praticamente extinta”, disse Herculano Dinis, observando que recentemente encontram um outro tipo de Rabo de junco “Phaethon leaternis” que está a nidificar nos ilhéus com identificação de dois ninhos o que poderá ser o início de uma dinâmica de fixação dessas espécies em Cabo Verde.

O projecto de protecção de aves marinhas tem financiamento garantido até 2022 período durante o qual os responsáveis da associação vão trabalhar outros projectos para a região Fogo/Brava, incluindo os ilhéus.
Inforpress/Fim

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)