quarta-feira, 12 agosto 2020

N Notícias

Estudo de sero-prevalência estima que 0,4% de pessoas tiveram contacto com o vírus da covid-19

O estudo de sero-prevalência divulgado hoje mostra hoje que 0,4% dos inqueridos tiveram contacto com o vírus da covid-19, confirmou a presidente do INSP, Maria da Luz Mendonça, realçando que os dados alertam para a necessidade do reforço as medidas preventivas.

A apresentação do estudo foi feita esta quarta-feira, na cidade da Praia, pela presidente do Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP), que avançou que o objectivo foi o de analisar a sero-prevalência e o perfil da infecção pelo SARS-COV-2 na população cabo-verdiana.

Segundo esta responsável, o estudo abrangeu cerca de 5.000 pessoas, dos 10 as 80 anos, em todas as ilhas do país, sendo 11 % residentes no concelho da Praia e 7% em São Vivente, acrescentando que dos inqueridos, 21 pessoas, ou seja 0,4%, testaram positivos para o teste rápido para a detecção de anticorpos.

De acordo a presidente, dos casos positivos, 86% são do sexo feminino e 97 % da população inquirida referiu manter o distanciamento social, sendo que apenas 58% referiram manter o distanciamento social sempre ou várias vezes.

Os dados da sero-prevalência, de acordo com Maria da Luz Lima, apesar de terem uma baixa percentagem, aconselha a implementação de medidas preventivas rigorosas para evitar o aumento do número de casos positivos da covid-19.

“Realmente, existe uma grande susceptibilidade da população cabo-verdiana e que é fundamental a implementação de medidas preventivas, porque a taxa de sero prevalência é muito baixa e, estando nesta fase de epidemia com a sero prevalência baixinha, isso implica que ainda há muita população que poderá vir a ser infectada”, referiu, reiterando que se não forem implementadas medidas preventivas rigorosas, Cabo Verde terá mais casos.

Por seu turno, o ministro da Saúde, Arlindo do Rosário, afirmou que esse estudo dá uma noção clara sobre a epidemia e indica que a covid-19 pode demorar muito tempo em Cabo Verde.

“ (…) O número de pessoas susceptíveis com a possibilidade de apanhar o vírus é grande, até porque a epidemia é recente, portanto, o número de susceptíveis é enorme. Significa que não temos ainda a imunidade de rebanho, o que permitiria prever o declínio da epidemia e significa que esta pandemia é uma pandemia que pode durar ainda por muito tempo”, declarou.

Destacou, por outro lado, o facto da população cabo-verdiana a nível nacional estar paulatinamente a consciencializar sobre a situação da epidemia e a alterar o seu comportamento no combate a covid-19.

O Ministério da Saúde anunciou esta terça-feira 26 novos casos positivos do novo coronavírus, num universo de 298 amostras testadas nos laboratórios de virologia da Praia e São Vicente, pelo que o País passa a contabilizar  2.354 casos acumulados.

Segundo os dados do Ministério da Saúde, Cabo Verde regista neste momento 1.666 casos recuperados, 714 casos activos, 22 óbitos e dois doentes transferidos, perfazendo um total de 2.354 casos positivos acumulados.

Os 2.328 casos confirmados no País estão distribuídos pelas de Santiago com 1.799 (76,4%), Sal 435 (18,5%), Boa Vista 57 (2,45%), São Vicente 13 (0,55%), São Nicolau 44 (1,87%), Santo Antão 04 (0,17%) e Maio 02 (0,1%).

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 645 mil mortos e infectou mais de 16 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Inforpress/fim.

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)