quarta-feira, 29 maio 2024

N Notícias

Lançado concurso para empreitada de requalificação da orla marítima dos Mosteiros

A Infra-estruturas de Cabo Verde (ICV), do Ministério das Infra-estruturas, Ordenamento do Território e Habitação, lançou concurso para a empreitada de requalificação da orla marítima dos Mosteiros.

O concurso público, em que podem participar as empresas de construção civil nacionais que não se encontrem em nenhuma das situações referidas no artigo 70º do Código da Contratação Publica, visa a execução da empreitada de requalificação da orla marítima dos Mosteiros, financiada pelo Governo de Cabo Verde.

As propostas das empresas de construção civil interessadas devem ser entregues até o dia 06 de Maio, sendo o critério de adjudicação a proposta economicamente mais vantajosa, e o prazo da execução física da empreitada é de nove meses, a contar da data da consignação da obra.

O projecto de requalificação da orla marítima dos Mosteiros estende-se desde a cidade de Igreja até Queimada Guincho e a autarquia dos Mosteiros estima que o seu orçamentado poderá atingir os 100 mil contos.

No anúncio de concurso público não consta o tecto máximo do valor que o Governo poderá disponibilizar para esta empreitada, nem uma eventual visita ao local da execução da empreitada

O concurso para esta empreitada estava inicialmente previsto para segundo semestre do ano passado o que não aconteceu porque o projecto aguardava parecer favorável da Direcção Nacional do Ambiente devido a existência no local de lavas vulcânicas antigas.

Parte do projecto de requalificação da orla marítima dos Mosteiros está em curso com a requalificação da orla marítima de Beco (Igreja, Mosteiros) e que a empreitada visa a sua expansão até Queimada Guincho.

O projecto de requalificação e expansão da praia de Beco contou com o financiamento do Ministério do Turismo e Transportes, através do Fundo de Sustentabilidade Social para o Turismo (FSST), no valor aproximado de 40 mil contos e visa transformar a zona de Beco e área circundante num espaço cultural e de lazer, mais atractiva e agradável.

As obras de requalificação de Beco estão a ser executadas pela empresa de construção civil STC, seleccionada em concurso público e prevê a transformação do espaço numa piscina natural, com clube náutico e área para as actividades náuticas, assim como a área circundante que passa a ter espaço cultural e de lazer mais atractiva e agradável.

O projecto elaborado pela WT Engenharia prevê de entre outras a construção de um anfiteatro a céu aberto com capacidade para 250 lugares, na parte central e com uma configuração oval, reabilitação da rampa da antiga delegação aduaneira, a edificação de um mirante e de um quiosque/bar com vista para o mar, além da requalificação da piscina artificial de Beco.

Igualmente a Infra-estruturas de Cabo Verde lançou um concurso para selecção de empresa para a fiscalização da empreitada de requalificação do centro histórico de São Filipe cuja consignação e inicio da obra aconteceu no passado dia 17 de Março.

As empresas interessadas devem entregar as suas propostas até o dia 16 de Abril próximo, sendo que o prazo para a prestação de serviços será de um ano.

A primeira fase da requalificação dos arruamentos do centro histórico está orçada em mais de 80 mil contos e vai ser executada no período de um ano pela empresa de construção civil, Elevo.

As obras iniciam-se pela parte baixa do centro histórico da cidade de São Filipe, o núcleo populacional mais antigo de Cabo Verde, depois de Ribeira Grande (Cidade Velha), na ilha de Santiago, e declarado em 2012 como “património nacional”, através da resolução 36/2012, de 21 de Junho, tendo sido inscrito quatro ano depois, na lista indicativa de Cabo Verde para Unesco.

Inforpress/Fim

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)