quarta-feira, 23 outubro 2019

N Notícias

Segunda fase do Projecto Impacto arrancou com a demolição do antigo edifício de praia Lantcha

A segunda fase do Projecto Impacto, implementado no quadro do programa das Plataformas para o Desenvolvimento Local e Objectivos do Desenvolvimento Sustentável, arrancou esta semana com a demolição do antigo edifício da Praia Lantcha.

Com a demolição do antigo edifício e a preparação do espaço, os trabalhos vão prosseguir nos próximos dias com a construção da casa dos pescadores, estando a sua conclusão para breve.

A segunda fase vai desenvolver a fileira da pesca no município dos Mosteiros e contempla a reconstrução do edifício da casa dos pescadores, a instalação de uma unidade de conservação de pescado, com capacidade para quatro toneladas, e de uma loja de materiais de pescas, assim como um espaço para o funcionamento da associação dos operadores de pescas dos Mosteiros, intervenção no arrastadouro e extensão da área de parqueamento de botes.

O vereador da Câmara Municipal dos Mosteiros, Fábio Vieira, disse à Inforpress que a primeira fase do projecto, que contou com o cofinanciamento da Cooperação Luxemburguesa e implementado pelo sistema das Nações Unidas, concluída há três meses, consistiu na construção de 15 abrigos para motores de popa e materiais de pescas, assim como a formação de operadores da pesca, incluindo a reactivação da associação de promotores da pesca que se encontrava inactiva há mais de uma década,

O projecto impacto está orçado em 14.500 contos, sendo que a segunda fase conta com um financiamento da Direcção Geral dos Recursos Marinhos (DGRM), no valor de 3.000 contos, e do Fundo do Turismo, no montante de 2000 contos.

Inforpress/Fim

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)