quinta-feira, 17 outubro 2019

N Notícias

Lista de preocupações da associação de taxistas integra aumento de praças revisão do tarifário e introdução de taxímetro

O aumento de parques de táxis sinalizados, revisão/actualização do tarifário e a introdução de taxímetros são algumas das preocupações que a Associação de Táxi – Fogo quer ver resolvidas e implementadas até o final do ano.

Os taxistas da cidade de São Filipe estiveram reunidos no dia 23, tendo a associação agendado um encontro com os taxistas dos Mosteiros para o próximo dia 30 para apresentação do logo-tipo da associação, os informar dos benefícios e deveres dos taxistas e convida-los a inscreverem na associação.

A Associação de Táxi – Fogo, constituída há cinco anos é integrada apenas pelos taxistas e proprietários de táxis do município de São Filipe, mas a associação pretende inscrever os taxistas dos municípios dos Mosteiros e Santa Catarina.

O presidente da associação, Denildo Gomes da Silva, disse a Inforpress que a classe pretende organizar-se para defender os seus interesses, observando que no município dos Mosteiros foram atribuídas 22 licenças sendo que dois encontra-se inactivo, no município de Santa Catarina uma licença, mas por dificuldades do mercado o táxi está fora de serviço e no município de São Filipe existem 129 licenças, mas apenas 79 táxis estão na praça.

Pese embora a existência de 79 táxis operacionais na cidade de São Filipe, existem sete parqueamentos sinalizados/identificados no largo de Cruz dos Passos, quatro junto do antigo hospital e outros quatro junto do mercado municipal, além do parqueamento do aeródromo de São Filipe, havendo, segundo o mesmo, a necessidade de o serviço camarário definir e identificar novas praças na cidade.

Este indicou que junto do hospital regional São Francisco de Assis não existe uma praça de táxis sinalizada, assim como no porto de Vale dos Cavaleiros, sítios onde existem, no dizer de Denildo Gomes da Silva “grande indisciplina” tendo a associação solicitado à câmara e a administração do porto a definição de parques apropriados para táxis para uma melhor disciplina, à semelhança do que acontece no aeródromo de São Filipe.

No aeródromo, explica, o problema maior prende-se com a concorrência dos hiaces e por isso a associação aguarda a definição de um espaço apropriado para os hiaces e as condições em que podem operar nesta infraestrutura aeroportuária, assim como no porto de Vale dos Cavaleiros.

Além do aumento de parques devidamente identificados a associação defende a revisão e actualização do tarifário, porque segundo o presidente desta instituição “a cidade está a crescer” e não faz sentido continuar a cobrar 100 escudos para uma deslocação do hospital até o bairro III Congresso, por exemplo.

A associação tem algumas opções em analise, sendo uma delas a introdução de taxímetros, o que implicaria alguns investimentos dos proprietários na aquisição do aparelho, observando que existem outras opções que devem ser socializadas com os proprietários e com as autoridades locais antes da sua implementação.

Outro aspecto em analise é a introdução do “sistema de chamada de urgência” no período nocturno, através de definição de um numero para contacto com o taxista disponível (serviço) durante a noite na cidade de São Filipe, tendo em conta que uma das maiores reclamações de turistas e não só, é o não funcionamento de serviço de táxis depois das 22:00 horas, com excepção de fins-de-semanas.

A activação da sede da associação, a uniformização dos táxis, o diálogo com as câmaras e outras entidades para definição de parques de táxis sinalizadas, a resolução do problema de concorrência de hiaces são outras preocupações que a associação está a trabalhar visando a sua resolução.

No encontro de São Filipe a associação convidou um representante da Repartição das Finanças para explicar o regime Rempe, e do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) para prestar informação sobre os cursos de língua estrangeira que está sendo montado em parceria com o Fundo de Turismo para os taxistas, e nos próximos encontros, segundo o presidente, é convidar responsáveis destes e de outros serviços para prestar informações úteis e de interesse para a classe.

Inforpress/Fim

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)