terça-feira, 16 julho 2019

N Notícias

Falta de areia leva pessoas a recolher areia colocada no Alto São Pedro para as cavalhadas

A falta de inertes para a construção civil levou várias pessoas a recolher a areia colocada no Alto de São Pedro para as cavalhadas, durante a noite de quarta-feira, poucas horas depois do término da actividade.

Ainda decorria a ultima noite de música na praça do Presídio e as pessoas já se encontravam em plena recolha da areia e a sua colocação em pequenos sacos ou amontoados em determinados sítios para o transporte.

Por volta das 09:00 de hoje praticamente o Alo São Pedro já estava limpo.

Habitualmente a areia é colocada no espaço para a prova de cavalhadas para evitar que os cavalos contraíam leões, mas retirada pelo serviço de saneamento da Câmara Municipal de São Filipe e costuma levar dias ou até semanas para sua remoção.

Contudo, este ano, a falta de areia, com o processo de apanha suspenso, desencadeou uma autêntica corrida à sua retirada por populares para venda a pessoas que estão a construir ou que tenham obras paradas devido à falta de inertes.

Assim, este ano, os trabalhadores do Saneamento tiveram ajuda preciosa das pessoas que com isso pretende fazer negócios e por aquilo que uma das pessoas envolvidas disse, toda a areia recolhida já estava vendida e aguardava, por volta das 10:00 horas, apenas o transporte.

A falta de areia é um dos grandes constrangimentos, segundo admitiu o autarca Jorge Nogueira no encontro com emigrantes e empresários realizado na semana passada e promovida conjuntamente com a Câmara de Comercio de Sotavento, CVTelecom e a Câmara Municipal de São Filipe.

Na ocasião, admitiu que a resolução da problemática passa pela produção de inertes mecânicos, indicando que está para breve a produção de areia por uma empresa privada.

Inforpress/Fim

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)