domingo, 17 novembro 2019

N Notícias

Câmara de São Filipe assume presidência da administração da Águabrava e Rui Évora é novo administrador/delegado

A Câmara Municipal de São Filipe, na pessoa do seu presidente, Jorge Nogueira, assumiu a presidência do conselho de administração da Empresa Intermunicipal de Águas (Águabrava) e Rui Évora é novo administrador/delegado.

As mudanças aconteceram no dia 22, durante uma assembleia-geral extraordinária com a finalidade de proceder à eleição dos órgãos sociais da Águabrava, propriedade das quatro câmaras da região Fogo/Brava.

A câmara de São Filipe, através do seu presidente, substitui assim a Câmara Municipal dos Mosteiros, na pessoa do seu presidente, Carlos Fernandinho Teixeira, no cargo do presidente do conselho de administração da Águabrava, que elegeu também o autarca da Brava, Francisco Tavares, como administrador.

O autarca dos Mosteiros passou a exercer as funções do presidente da assembleia-geral, tendo como secretários o delegado da empresa nos Mosteiros, Joaquim Rodrigues Garcia, e a funcionária na sede de empresa, Ilda Solidade.

O conselho fiscal, que antes era presidido pela ilha Brava, passa doravante a ser presidido pela Câmara Municipal de Santa Catarina do Fogo, Alberto Nunes, que até a assembleia extraordinária exercia as funções do presidente da assembleia-geral.

O engenheiro Rui Évora, por seu lado, vai substituir o engenheiro José Rodrigues no cargo de administrador/delegado, depois de José Rodrigues ter desempenhado essas funções durante 14 anos.

Além de eleição, a assembleia-geral aproveitou para analisar a proposta do relatório de actividades e contas de gerência da Águabrava relativo ao ano de 2018, assim como o estado de implementação do projecto de dessalinização de água na comunidade de Furna (Brava).

Inforpress/Fim

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)