sábado, 20 julho 2019

N Notícias

Águabrava passa a dispor de mais dois parques de produção de energias renováveis para exploração de água

A Empresa Intermunicipal de Águas (Águabrava) passa a dispor, a partir de hoje, de mais dois parques fotovoltaicos para produção de energia solar para exploração de água nas estações elevatórias, passando para um total de seis parques.

Os trabalhos de instalação dos parques de Patim e Nossa Senhora do Socorro, circuito sul, iniciados no final de Janeiro pela empresa GTEK, estão concluídos e segundo o administrador/delegado da empresa, José Rodrigues, a entrega acontece na tarde de hoje.

Além dos dois parques, para esta fase o projecto prevê a instalação do parque de São Pedro, circuito norte, sendo que em conjunto, os três parques (Patim, Nossa Senhora do Socorro e São Pedro), representa um investimento na ordem dos 50 mil contos e tem por finalidade reduzir os gastos da empresa com o consumo de energia convencional na exploração e abastecimento de água a população.

O parque de Nossa Senhora do Socorro tem capacidade para produzir 48 kwats e o de Patim, que apenas faz a elevação de água do reservatório desta localidade até Monte Grande, tem capacidade para 28 kwats, assim como o de São Pedro.

Desde o início do processo da instalação dos parques fotovoltaicos para produção de energias limpas para as suas infra-estruturas, foram construídos um total de seis parques, nomeadamente de Santo António e Alvito (circuito norte), Benecha (próximo do aeródromo de São Filipe), Monte Genebra, Nossa Senhora Socorro e Patim (circuito sul), através do projecto de produção de energias renováveis, financiado no quadro da Cooperação Luxemburguesa.

O administrador/delegado da Águabrava adianta que com a instalação dos parques, as duas maiores estações elevatórias e que representa maior fatia das despesas com energia convencional, Nossa Senhora do Socorro, média de dois mil contos/mês, e Monte Genebra cerca de 1.600 contos/mês, passaram a funcionar com energias renováveis e permitindo a empresa poupar centenas de contos/mês.

Com a entrada em funcionamento a empresa começou a sentir os efeitos na redução das despesas com o consumo de energia convencional, facto que vai ser mais expressivo com a entrada de mais duas estações, Patim e Nossa Senhora do Socorro, e depois com o de São Pedro.

O objectivo da Águabrava é, no horizonte de quatro anos, quando o projecto estiver concluído e com todas as estações elevatórias a funcionar, em parte com recurso a energia renovável, reduzir o custo de energia convencional em mais de cinco mil contos/mês, passando dos mais de sete mil contos para 2.100 contos, já que a instalação do sistema permite a Águabrava ter uma capacidade de produção de 70 por cento (%) das suas necessidades energéticas, utilizando apenas 30% das suas necessidades com recurso a energia convencional.

Inforpress/Fim

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)