quarta-feira, 23 outubro 2019

N Notícias

Organização de socorro da Igreja Nova Apostólica financia projectos na área de agricultura e pecuária para jovens da ilha

A organização de socorro da Igreja Nova Apostólica, NAK-Karitativ, anunciou o financiamento a um projecto para jovens da ilha do Fogo, nas áreas da agricultura e pecuária, cujo valor, numa primeira fase, representa um investimento de mais de 27 milhões de escudos.

O coordenador mundial dos projectos da NAK-Karitativ, Martin Petzoldt, que terminou terça-feira uma visita de uma semana às ilhas do Fogo e da Brava, disse à Inforpress, que depois de em 2015 a sua organização ter apoiado famílias na sequência da erupção vulcânica, através de cobertura das casas e construção de casas de banho, desta feita vai financiar um programa de agricultura e pecuária, para ajudar jovens com idade até aos 35 anos, na sequência da crise provocada pela falta da chuva e de acesso a água.

Durante a visita, disse, juntamente com os responsáveis locais da Igreja Nova Apostólica, identificou-se um terreno com uma área de três hectares, na zona de Monte Verde, zona Sul do município de São Filipe e na fronteira com o de Santa Catarina do Fogo, e pertencente ao Estado, para instalação e montagem de um perímetro irrigado, beneficiando um total de 60 jovens.

A ideia, explicou, passa pela disponibilização de uma superfície de 500 metros quadrados a um hectare de terreno a jovem ou grupo de jovens, para instalação de um canteiro para produção de hortícolas, permitindo assim obter rendimentos para ajudar as respectivas famílias, como no pagamento de electricidade ou água, por exemplo.

O início do projecto depende, por um lado, da disponibilidade do terreno, propriedade do Estado, e, por outro, a decisão do conselho de Igreja e da direcção de NAK-Karitativ na Alemanha, mas, segundo o coordenador mundial dos projectos desta organização não-governamental, a doação para o projecto deverá estar disponível para o seu arranque até meados de Junho deste ano

“Depende de algumas ofertas”, disse Martin Petzoldt, indicando que o projecto prevê a execução de um furo de prospecção de água para rega, material necessário para a instalação do perímetro, como sementes, formação dos beneficiários em agricultura convencional, mas, também em agricultura biológica.

O responsável explicou que se pretende uma produção biológica nas diferentes áreas, e, por isso, não se perspectiva a importação de muitos produtos e materiais, devendo ser utilizados os produtos da ilha.

Para o coordenador mundial dos projectos, a qualidade dos produtos locais é melhor de que os importados e com sustentabilidade e por isso esta ONG quer usar metodologias biológicas que são boas para o ambiente da ilha, mas também para os turistas, que podem aproveitar das qualidades dos produtos biológicos.

No primeiro ano da implementação do projecto, disse, os jovens serão acompanhados, mas no segundo e terceiro anos, caso tenham condições para administrar os próprios projectos, terão auto-suficiência para faze-los, observando que a ideia futura é replicar o projecto noutras ilhas, nomeadamente Santo Antão.

Os 500 metros quadrados que serão disponibilizados a cada um dos beneficiários serão utilizados só para horticultura, mas a instituição religiosa tem identificado outras pessoas, neste caso um grupo de mulheres para a parte de pecuária, nomeadamente produção de ovos e carne, e de entre 20 mulheres identificadas, vão iniciar com três aviários ao lado dos canteiros de horticultura.

A primeira fase a implementação do projecto representa um investimento de 27 mil contos, mas a NAK-Karitativ pretende investir mais recursos financeiros nos próximos cinco anos, observando que a fatia maior destina-se a execução de um furo de prospecção de água, mas sublinha que é necessário promover acção de formação e coordenação, através de contratação de um coordenador e um gerente para preparar os beneficiários como organizar relatório, elaborar orçamentos e projectos, sendo por isso no inicio, indispensável, ter pessoas com alguma experiencia para ajudar os beneficiários ao longo do projecto.

Na ilha Brava, Martin Petzoldt disse que foi reabilitado um quiosque e que está na fase de organização de um grupo de cinco jovens para a sua exploração como restaurante, observando que o grupo ficou de identificar outras fontes para diversificar os seus rendimentos.

Como a Igreja Nova Apostólica dispõe de um terreno na cidade de Nova Sintra, e por ter constatado que as agências funerárias das igrejas em São Filipe (Fogo) e Praia (Santiago) utilizam flores importados em plásticos para as suas actividades, e para mudar esta situação, esta organização pretende investir na produção de flores naturais na ilha Brava.

“O clima é bom, há terreno disponível e quando as pessoas querem flores para decoração e, infelizmente, para funerária, pode usar, não flores importados, mas flores naturais e produzidos na Brava”, disse, observando que este é um projecto que deve iniciar-se em meados de 2020.

Com Inforpress

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)