sábado, 20 julho 2019

N Notícias

ESDIME realiza workshop sobre pesca desportiva para pescadores que operam na estância balnear de Salinas

A Agencia para o Desenvolvimento Local do Alentejo Sudoeste (ESDIME), responsável pela execução do projecto de requalificação da estância balnear de Salinas, denominado “Ecoturismo na piscina natural de Salinas”, promove hoje um workshop sobre pesca desportiva.

O workshop, orientado por Vicente Jorgensen, técnico da área da pesca desportiva, destina-se aos pescadores que operam no porto de Salinas e que beneficiam de algumas actividades no quadro da implementação do projecto.

O responsável local de ESDIME, Belício de Pina, indica que o objectivo é preparar os pescadores para que estejam em condições de prestar este serviço com qualidade e segurança necessária, havendo procura desta actividade desportiva e recreativa por parte dos turistas.

No porto de desembarque de pescado da estância balnear de Salinas estão identificados 55 pescadores inscritos na associação dos pescadores local e 35 embarcações de pesca de boca aberta.

No quadro do projecto foram construídos 28 abrigos de botes e uma casa de banho para os pescadores, estando a Câmara Municipal de São Filipe a negociar a construção de mais quatro abrigos, elevando assim para 32.

Segundo Belício de Pina, nas actividades da pesca prevê-se ainda construção do arrastadouro e dois espaços apropriados para tratamento do pescado, observando que as infra-estruturas da pesca vão ser geridas pela associação de pescadores, mediante um protocolo de concessão a ser celebrado após a conclusão do projecto, entre a câmara e associação.

Além do workshop, a ESDIME, no quadro das suas actividades com a comunidade, promoveu no passado dia 19, em parceria com a escola básica de Pé de Monte, uma acção de sensibilização dos alunos do terceiro e quarto anos sobre a prevenção do meio ambiente e em específico sobre Salinas.

A ESDIME entende que as escolas constituem o principal público a ser trabalhado sobre as questões de preservação ambiental, pois as crianças são “um veículo importante” para difusão das informações junto das pessoas nas suas comunidades.

A acção de sensibilização, segundo Belicio de Pina, visa sobretudo a tomada de consciência, mudança de atitude e contribuição na melhoria do comportamento da população a fim de preservar a natureza e a beleza da piscina natural de Salinas.

Durante a acção de sensibilização e educação ambiental dirigida aos alunos, os responsáveis alertaram que cuidar do meio ambiente é responsabilidade de todos e é necessário que cada um tenha a responsabilidade de depositar o lixo em lugar apropriado, por exemplo.

No quadro do projecto, a ESDIME financiou a formação de oito jovens de Galinheiro, Campanas e São Jorge, nas áreas de técnicas e práticas de atendimento a clientes (três) e cozinha de nível II (cinco).

Este indicou que no próximo mês de Março, será realizado o segundo fórum de Governança Local “Pensar Salinas” com envolvimento da Câmara de São Filipe, associações de desenvolvimento comunitário das localidades de Galinheiro, S. Jorge e Campanas de Baixo, que beneficiam do projecto, associação dos pescadores, de guias turísticos, Parque Natural do Fogo e Associação de Turismo do Fogo, para discutir a forma como o espaço será gerido após a conclusão do projecto, previsto para 30 de Abril, e com a retirada de ESDIME.

Segundo o responsável desta ONG o espaço deve ser gerido pelas associações mediante concessão por parte da câmara, devendo a associação dos pescadores gerir a parte relacionada com a pesca e uma das associações comunitárias, a ser seleccionada, as outras infra-estruturas.

O projecto “Ecoturismo na piscina natural de Salinas”, financiado pela União Europeia, está “num bom ritmo de implementação” e a previsão é para sua inauguração no final de Abril próximo.

Os abrigos dos pescadores estão praticamente concluídos faltando apenas colocação de portas e pinturas, as caminhadas em fase avançada, estando na fase de edificação a sala multiuso, a construção do arrastadouro de embarcações de pescas e na construção do parque de estacionamento.

Em relação à estrada de acesso à estância balnear de Salinas, este disse que conforme o projecto será reabilitado após a conclusão dos trabalhos na parte baixa.

O projecto, recorda-se, beneficia de um financiamento da União Europeia no valor de 357.499 euros, mais de 39.300 contos), corresponde a 75 por cento (%) do investimento total que é de 476.666 Euros (52.400 contos cabo-verdianos), e tem como objectivo global a diversificação da oferta turística do Fogo.

Salinas é uma baía que abriga um pequeno porto de pesca e uma piscina natural desenhada pela rocha vulcânica e uma das principais referências turísticas da ilha do Fogo e com a execução do projecto as autoridades locais esperam que este espaço, que já é visitado por muitos nacionais e turistas, passam a receber muito mais gente porque passa a oferecer outras condições.

Inforpress/Fim

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)