20-02-2019

N Notícias

Projecto “Rotas do Fogo” promove ciclo de formações a partir desta semana

O projecto “Rotas do Fogo”, cofinanciado pela União Europeia e implementado pela ONG italiana Cospe, promove, a partir desta semana, um ciclo de formação abrangendo as áreas de transformação agroalimentar local, associativismo e cooperativismo e gestão do agroturismo.

O coordenador do projecto “Rotas do Fogo – modelo de agroturismo como reforço das organizações locais do turismo rural e sustentável na ilha do Fogo”, David Solazzo, disse que para 2019 estão previstas várias actividades e além da reabilitação da parte externa da casa do ex-presidente, no perímetro florestal de Monte Velha, há vários percursos formativos sobre três temáticas.

A primeira formação, que inicia no dia 31 de Janeiro, nos Mosteiros e depois replicado nos de Santa Catarina e São Filipe, abrange o sector de transformação agroalimentar local, nomeadamente sobre os princípios de agroecologia com aulas práticas de preparação de adubo e pesticidas orgânicos para combate as pragas agrícolas.

A formação, com a duração de 12 dias e divida em quatro semanas, é dirigida às associações de desenvolvimento comunitário e aos produtores que não pertencem as associações.

A mesma vai ser liderada pelo Centro de Estudos Rurais e Agrícolas Internacional (CERAI) e conta com envolvimento das câmaras e com a delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente).

Dentro do pacote formativo na área de transformação agroalimentar, explica David Solazzo, haverá uma outra componente formativa sobre a saúde e alimentação animal para produtores das zonas de produção caprina e actividades de comercialização e gestão pós-colheita, também ministrada pelo CERAI, estando a sua realização para meados de Abril/Maio de 2019 nos três municípios.

A segunda formação arranca no início de Fevereiro e contempla as áreas do associativismo e cooperativismo. É promovida em parceria com o Programa Oportunidades Socioeconómicas no Meio Rural (POSER) e a Comissão Regional de Parceiros (CRP) que, inclusive, realizou no ano passado uma avaliação das associações de desenvolvimento comunitário nos três municípios para determinar o nível de organização.

Segundo o coordenador de “Rotas do Fogo”, com base na avaliação foram desenvolvidos dois programas de formação sobre o associativismo, sendo um para as organizações que não estão bem estruturadas e precisam de apoio neste sentido e outro para as associações com um nível de organizativo maior e que precisam em domínios como negociações com parceiros e prestação de contas.

David Solazzo informou que será também realizada uma sessão de pequenos negócios para associações que já têm actividades geradoras de rendimento e organizar uma espécie de laboratório de elaboração de propostas de pequenos projectos que podem apresentar aos possíveis financiadores, observando que localmente existe alguma possibilidade de financiamento de pequenos projectos, mas falta a apresentação das propostas segundo os procedimentos requeridos.

A terceira formação será sobre a gestão de agroturismo e vai ser definida através de “mesa de diálogo” dos projectos, previsto para o dia 08 de Fevereiro. Os beneficiários serão definidos nessa “mesa de diálogo” que tem a representação das câmaras e de todos os parceiros do projecto.

Ainda no âmbito do agroturismo, o projecto prevê a realização de visitas de estudos à ilha de Santo Antão para conhecer os modelos de turismo mais próximo de agroturismo, e no segundo semestre às Ilhas Canárias para ver as boas experiências e canalizá-las para elaboração de modelos de agroturismo.

Além de formação, o projecto poderá de fornecer suportes a alguns pequenos centros de transformação, a nível de insumos para promover uma produção agroalimentar de qualidade.

Inforpress/Fim

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)