23-10-2018

N Notícias

Sala de aula de Cabeça Fundão construída no ano passado sem condições para receber alunos – associação comunitária

A sala de aula construída no ano passado no quadro da requalificação da escola do EBI e jardim infantil de Cabeça Fundão “não oferece as condições de segurança” para os alunos, segundo informações do presidente da associaçãocomunitária.

O presidente da Associação comunitária de Cabeça Fundão, Nicolau Centeio disse que o tecto da sala construída e inaugurada no ano passado, com a queda das chuvas, está na iminência de ruir e que por isso a associação vai disponibilizar o espaço da sua sede para que parte dos alunos possa assistir as aulas em condições.

O delegado do Ministério da Educação no município de Santa Catarina do Fogo, Osvaldo Rodrigues, disse à Inforpress que só na quinta-feira tomou conhecimento da situação já que a professora que lecciona nesta sala lhe informou que havia muita infiltração de água.

Este disse que já transmitiu ao edil de Santa Catarina, Alberto Nunes, estas informações e ficou de entrar em contacto com a empresa que executou a obra de reabilitação da escola e a construção da nova sala para inteirar-se da situação e a solucionar.

“Caso o problema for grave, os alunos ficam na sala da associação comunitária que está situado mesmo ao lado da escola”, disse o delegado do ministério, indicando que nesta escola existem duas turmas compostas e com a disponibilidade do espaço da associação não haverá problemas.

A reabilitação da escola do EBI e jardim infantil de Cabeça Fundão, apadrinhada pela primeira-dama, consistiu na substituição do tecto com a retirada da telha e colocação de betão, construção de mais uma sala de aula, uma cozinha e um pequeno armazém e a requalificação do pátio para a prática de actividade física e foi inaugurada a 09 de Outubro de 2017.

Inforpress/Fim

Comments fornecido por CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)