19-12-2018

N Notícias

V Recenseamento Empresarial vai abranger instituições sem fins lucrativos que exercem actividade económica – INE

O Instituto Nacional de Estatística (INE) vai realizar de 03 a 30 de Setembro o V recenseamento Empresarial, tendo como novidade a recolha de dados das instituições sem fins lucrativos que exercem actividade económica no território cabo-verdiano.

De acordo com o INE, o recenseamento vai abranger todas as unidades económicas do tipo empresarial que operam no país (empresas e estabelecimentos) desde que sejam visíveis e fixas, estejam registadas ou não.

“Pretende-se também, recolher, tratar, analisar e difundir, pela primeira vez, de acordo com as recomendações internacionais, dados sobre todas as Instituições sem fins lucrativos que exercem atividade económica no território cabo-verdiano”, refere a instituição.

Na próxima semana, e mais concretamente de 27 a 31 de Agosto vai ser realizada uma acção de formação tendo em vista a preparação dos agentes de terreno. As formações vão ser realizadas em simultâneo na Praia e nas ilhas do Sal, de São Vicente e do Fogo.

No polo da Praia serão formados agentes de Santiago, São Nicolau, Boa Vista e Maio. No Sal os agentes do Sal, em São Vicente os agentes de São Vicente e Santo Antão e no Fogo os do Fogo e da Brava.

No total, serão formados 115 agentes de terreno incluindo recenseadores e supervisores.

O recenseamento empresarial é realizado de cinco em cinco anos, sendo que o anterior foi realizado em 2013.

Entretanto, anualmente o INE realiza inquérito às empresas utilizando o método de amostragem para elaboração de estatísticas empresariais

Com Inforpress

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)