22-10-2018

N Notícias

Águabrava reassume gestão de água para agricultura quarta-feira com unificação do preço

 A empresa intermunicipal de águas, Águabrava, reassume, a partir desta quarta-feira, 01 de Agosto, a gestão da água para agricultura na região Fogo/Brava com a unificação do preço de água a 70 escudos por metro cúbico.

A empresa reassume a gestão depois de mais de um ano após a celebração do protocolo entre Águabrava e Agência Nacional de Água e Saneamento (ANAS), a 21 de Julho de 2017.

O acordo visa a transferência e exploração de um conjunto de infra-estruturas hidráulicas no Fogo e a gestão de água para agricultura, e a transferência de uma nascente, na ilha Brava, para fornecimento de água a população.

O administrador/delegado da Águabrava, José Rodrigues, disse à Inforpress que a empresa já começou a efectuar a ligação de horticultores à rede da empresa intermunicipal.

Informou que alguns horticultores vão continuar na rede do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA), mas a gestão e distribuição de água para agricultura passa a ser feita pela Águabrava.

Segundo este responsável, a partir de 01 de Agosto, os horticultores da região passam a pagar o mesmo tarifário praticado pela empresa, isto é, 70 escudos metro/cúbico.

José Rodrigues observou que os que pagavam 55 escudos (zona sul da ilha) e 35 escudos (Mosteiros) vão passar a pagar 70 escudos e os que antes pagavam 110 escudos vão também para o escalão de 70 escudos, uniformizando, assim, a tarifa de água para agricultura.

A partir desta quarta-feira, a empresa passa a disponibilizar mais de 600 metros cúbicos de água/dia aos horticultores, incluindo a vinha de Maria Chaves, da Associação de Solidariedade e Desenvolvimento (ASDE) para as suas parcelas irrigadas.

Aquando da celebração do protocolo ficou assente que o Governo, através do MAA, vai investir cerca de 70 mil contos para corrigir as várias insuficiências existentes nas infra-estruturas, para aumentar a disponibilidade de água para agricultura.

Além disso, deverá promover a organização dos agricultores e o ordenamento das parcelas e a calendarização da rega, e, segundo José Rodrigues, o ministério já tem tudo preparado para lançamento de concurso para adjudicação das obras para a melhoria do sistema na rede de agricultura.

A Águabrava deixou de fornecer água para rega no ano de 2014 com o investimento na construção de uma rede exclusiva para abastecimento dos horticultores da zona sul da ilha, rede que foi gerida, primeiro pela Associação dos Agricultores e Criadores de Gado dos municípios de São Filipe e Santa Catarina do Fogo, e, depois, pela Unidade de Gestão da Água ligada ao Ministério da Agricultura, votando agora, quatro anos depois, para a jurisdição da empresa Águabrava.

Aquando da separação da rede, a empresa reclamava uma dívida acumulada pelo fornecimento de água aos agricultores no valor de 10 mil contos que vão ser cobrados mediante um plano de pagamento concertado.

Já na segunda-feira, um grupo de horticultores de Ramos Inglês (Ramainglesa), através de um abaixo-assinado, manifestava o seu descontentamento com o aumento do preço de 55 para 70 escudos por metro cubico de água.

Com Inforpress

Comments fornecido por CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)