17-11-2018

N Notícias

Agricultores da zona norte dos Mosteiros iniciam a faina agrícola após queda das primeiras chuvas

Os agricultores da zona norte do município dos Mosteiros (Ribeira do Ilhéu e Atalaia Trás) estão em plena faina agrícola, após a queda das primeiras chuvas, em quantidade suficiente para fazer germinar as sementes.

Um agricultor de Atalaia e líder da localidade, Luciano Silva, contactado telefonicamente, disse que nas localidades de Ribeira do Ilhéu e Atalaia Trás, os agricultores estão a proceder às “sementeiras em molhado”, depois das chuvas de segunda-feira.

Adiantou que, na parte de Atalaia frente, a quantidade de chuva registada foi menor, mas que alguns agricultores estão a proceder à “sementeiro em seco” e que o “tempo está encoberto” e com boas perspectivas para a queda de chuvas.

Nas zona altaa dos Mosteiros, nomeadamente em Cutelo Alto, onde os agricultores iniciaram as sementeiras na semana passada, registou-se a queda de 38 milímetros de chuvas nesta segunda-feira, quantidade mais do que suficiente para fazer as sementes germinarem.

Apesar das primeiras precipitações, os agricultores estão a deparar com problemas de sementes e segundo Luciano Silva a indicação do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) em termos de distribuição de sementes vai no sentido de apoiar os agricultores mais vulneráveis com cinco litros de milho, meio litro de feijão fava e igual quantia de feijão bongolom.

Segundo o responsável, só em Atalaia, o levantamento de agricultores com necessidades em termos de sementes ultrapassou uma centena, observando que neste processo constava necessidades em outras sementes como sapatinha, mancara (amendoins) e feijão pedra.

Para Luciano Silva, o mais grave é que, mesmo querendo os agricultores, eles não têm onde e como comprar as sementes, que são vendidas a um preço elevado.

Sublinhou que o MAA podia funcionar como intermediário, adquirindo as sementes e depois colocá-los à disposição dos agricultores, mediante o pagamento do preço, para facilitar na campanha, já que no ano passado a produção foi fraca ou mesmo nula em alguns casos.

Na zona norte da ilha do Fogo, tradicionalmente agrícola, entre Ponta Verde e Campanas, registou-se a queda de alguma precipitação e alguns agricultores estão na faina agrícola, lançando as sementes à terra, com a esperança de que mais chuvas venham a ocorrer nos próximos dias.

Os agricultores dessas localidades contactados pela Inforpress indicam que a quantidade da chuva caída na segunda-feira não é suficiente para iniciar as sementeiras, mas adiantaram que os mais corajosos estão a efectuar as sementeiras, enquanto outros, mais cautelosos, aguardam pela queda de mais precipitação.

A tentativa de ouvir a delegação do Ministério da Agricultura sobre o início da faina agrícola não surtiu efeito.

Com Inforpress

Comments fornecido por CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)