19-11-2018

N Notícias

Segundo D.Geral de Farmácia, Lista Nacional de Medicamento Essenciais disciplinará utilização de fármacos

 A Lista Nacional de Medicamento Essenciais (LNME), publicada no Boletim Oficial de 19 de Junho, vai “ajudar a disciplinar a utilização de fármacos nas estruturas públicas de saúde”, considerou hoje o director-geral de Farmácia, Eduardo Tavares.

Eduardo Tavares, que falava em declarações à Inforpress, explicou que a LNME é uma lista direccionada principalmente às estruturas públicas de saúde e que define os medicamentos que o Estado é obrigado a disponibilizar aos cidadãos.

“São medicamentos básicos utilizados no combate às principais enfermidades da população e que não podem faltar no mercado”, disse este responsável defendendo que, uma vez concretizado o levantamento das principais enfermidades da população cabo-verdiana, é necessário ter medicamentos para dar cobertura.

Além de disciplinar a utilização de fármacos nas estruturas públicas de saúde, Eduardo Tavares afirmou que um dos principais benefícios é a racionalização do medicamento, uma vez que, segundo informou, todas as estruturas públicas têm de fazer as suas previsões de acordo com os medicamentos que estão na lista.

Tavares avançou ainda que a LNME irá dar suporte à criação de protocolos terapêuticos de acordo com os medicamentos que nela constam.

De acordo com o que foi publicado no Boletim nº39 de 19 de Junho, “a concepção, a sistematização e a harmonização foram realizadas de forma democrática e estruturada, tendo sido construída a partir de uma avaliação com base nas informações de eficácia, efectividade, segurança, custo, disponibilidade, entre outros aspectos, obtidos a partir das melhores evidencias cientificas disponíveis”.

Com Inforpress

Comments fornecido por CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)