21-06-2018

N Notícias

Associação dos Produtores do Vinho do Fogo formalizada hoje nos Mosteiros

 Os responsáveis das adegas Sodade e Maria Chaves reúnem-se hoje, nas instalações da adega Sodade, nos Mosteiros, em assembleia constitutiva para a formalização da Associação dos Produtores do Vinho da ilha do Fogo (APVF).

O projecto da criação da APVF foi socializado entre as duas adegas num encontro realizado a 19 de Maio, promovido pela Associação de Turismo do Fogo (ATF), que apadrinha esta iniciativa, e a associação vai ser formalmente constituída hoje, terça-feira, na adega/cooperativa Sodade, nos Mosteiros, acto que deverá ser testemunhado pelo edil local, Carlos Fernandinho Teixeira.

A responsável da Associação de Solidariedade para o Desenvolvimento (ASDE) e da adega Maria Chaves, Maria da Graça, disse a Inforpress que neste momento apenas as duas adegas, Sodade e Maria Chaves, vão participar na assembleia constitutiva da associação e que a adega Chã vai entrar mais tarde, a partir de Julho, porque não teve tempo para socializar o projecto com os seus associados.

“Como estamos pressionados pelo Instituto de Gestão de Qualidade que está no processo da criação da Denominação de Origem Controlada (DOC) e da Identificação Geográfica e para estes dois processos é fundamental que haja a associação dos produtores de vinho do Fogo”, afirmou Maria da Graça, indicando que se vai avançar com as duas adegas, e que a de Chã, cujo estatuto foi socializado e concordou com a ideia, possa entrar após a socialização com os seus associados.

A APVF, segundo os estatutos, tendo por princípios fundamentais a liberdade, a democracia, a cooperação e a ajuda mútua, e é constituída para fins de coordenar, defender e proteger os interesses dos pequenos produtores.

Coordenar as acções dos produtores de vinho agrupados relativamente às entidades públicas, bem como às instituições de crédito, previdência, laborais, de seguro e instituições análogas, no âmbito do ramo do sector vinícola ao nível da ilha e do país, organizar serviços de interesse e de intervenção comuns aos produtores associados, racionalizando os respectivos meios de acção e produção, representar os interesses comuns dos produtores associados em juízo e fora dele, fazem parte dos objectivos da sua criação.

A APVF visa ainda arbitrar, de acordo com os princípios associativos, os conflitos que surjam entre os produtores associados, promover o desenvolvimento do respectivo ramo agrícola do sector associativo,  exercer qualquer outra actividade permitida por lei e consentânea com os princípios associativos e promover e proteger, nacional e internacionalmente, as denominações de origem e indicações geográficas de produtos vitivinícolas da ilha do Fogo.

A associação pode servir os produtores associados de centro permanente de relações e estudos, procurando realizar em conjunto transacções vantajosas da aquisição de todos os materiais e produtos de que careçam para o desempenho das suas funções, auxiliar financeiramente, quanto possível, através de uma reserva comum, os produtores associados, criar serviços de assistência técnica, promover e divulgar os produtos dos seus associados no mercado interno e externo.

Além disso a APVF pretenderá realizar encontros periódicos como congressos, reuniões e outros eventos, para a discussão de temas técnicos, organizacionais e didácticos do sector, realizar intercâmbios de informações e experiências com especialistas e associações congéneres do país ou do exterior e realizar concursos de vinhos e seus derivados, reconhecendo apenas aqueles coordenados pela APVF ou por ela homologados.

Com Inforpress

Comments fornecido por CComment

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)