19-12-2018

C Curiosidades

Aguadinha - Um século ao serviço da população de São Filipe

Edifício emblemático e de muito significado para a população de São Filipe, o depósito de água de Aguadinha foi construído por José Freire e inaugurado por volta do ano de 1914. Hoje, mais de um século depois, ainda é utilizado para abastecer a população da cidade.Aguadinha1

O seu nome está ligado à nascente de Aguadinha, situada a 1.800 metros de altitude na zona de Serra, a alguns quilómetros de Achada Fora, de onde provinha a água. Em 1915, a Aguadinha passou a receber água de Chã das Caldeiras, que, com o passar dos anos, se mostrou insuficiente.

A água salobra foi a solução, o que levou o então administrador do concelho, Luís Rendall, com muita diplomacia, a sensibilizar o governador-geral de Cabo Verde entre 1943 e 1949, João de Figueiredo, para com as necessidades da ilha. No resultado, mandou fazer a canalização de água da nascente de Praia Ladrão para São Filipe.

Aguadinha está situada no noroeste do centro histórico e o seu jardim é  muito utilizado pela população que vive na zona. Nele, existe um busto em homenagem ao governador João de Figueiredo, promotor do projecto de abastecimento de água.

Com 540 metros quadrados de superfície, este depósito de água, totalmente construído de pedra e revestido com cimento-ocre, é composto por dois compartimentos superficiais de 150 m3 cada, num total de 356 m3 de capacidade.

? a partir deste reservatório que se fazia a distribuição e abastecimento de água ao Centro Histórico, a parte alta e os bairros periféricos da cidade de São Filipe. Com a criação da Águabrava, a Aguadinha beneficiou de uma reparação profunda. Continua a funcionar como depósito, mas o seu chafariz foi desactivado com a política de ligação domiciliária praticada pela Empresa.     

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)