quarta-feira, 02 dezembro 2020

C Cultura

“O Último Desejo do Vulcão” vence melhor curta-metragem narrativa no Roxbury International Film Festival

O filme “O Último Desejo do Vulcão”, do cineasta cabo-verdiano Guenny k. Pires, foi galardoado como melhor curta-metragem narrativa na 22ª edição do Roxbury International Film Festival 2020 e está indicado na mesma categoria no festival de Londres.

Segundo uma nota de imprensa da produtora Txan Film, esta curta narrativa sobre a ilha do Fogo é o primeiro filme cabo-verdiano a ganhar a melhor curta-metragem narrativa neste festival americano, que teve lugar, ‘online’, no dia 01 de Novembro.

“Muito obrigado por este prémio extraordinário. A equipa do Txan Film e eu estamos gratos. Foi uma experiência fantástica e poderosa participar no Roxbury International Film Festival 202”, escreveu o cineasta na sua página no Facebook.

A mesma fonte informou ainda que “O Último Desejo do Vulcão” é um dos 15 filmes indicados para melhor curta-metragem narrativa da 14ª edição anual do Festival de Cinema de Movimento, que está acontecendo em Londres, Reino Unido.

É a segunda vez que o cineasta Guenny K. Pires ganha um prémio de melhor filme. Em 2010, o seu documentário-drama “Contract” ganhou um prémio de melhor documentário na 13ª edição anual Roxbury internacional Festival de Cinema. “Ele se tornou o primeiro cineasta africano a receber a maior distinção na Roxfilmfest”, lê-se na nota.

No dia 23, o cineasta Guenny Pires irá fazer parte do painel de perguntas e respostas deste festival.

Esta narrativa ganhou este ano um prémio finalista de melhor curta narrativa no 11º Vale do Silício Africano Festival de Cinema 2020.

“O Último Desejo do Vulcão”, um filme de 25 minutos, revela uma história baseada em factos reais, em que a narrativa se concentra na relação entre o antagonista e protagonista, o Sr. Musa-Maximiano, de 105 de idade e líder espiritual de sua aldeia, e seu neto Michel.

“Musa é o guardião responsável pela preservação da história e da cultura de sua aldeia e agora, às vésperas da celebração de seu aniversário e consciente que seu fim está próximo, ele deseja passar essa importante responsabilidade para seu neto Michel”, lê-se na sinopse do filme.

Ainda, o filme proporciona aos espectadores uma viagem inspiradora sobre a cultura e o legado do povo de Chã das Caldeiras, a vila mais atingida pela erupção vulcânica de 2014.

A primeira fase da rodagem do filme aconteceu entre finais de Novembro e início de Dezembro de 2018 e a segunda entre Julho e Agosto de 2019 em Chã das Caldeiras, ilha do Fogo, Cabo Verde.

“O Último Desejo do Vulcão” teve a sua primeira estreia mundial em Fevereiro de 2020 no 28º Festival PanAfrican Film Festival & Arts Festival, em Los Angeles.
Inforpress/Fim

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)