terça-feira, 17 setembro 2019

C Cultura

Comunidade de Chã das Caldeiras festeja no domingo a Nossa Senhora Rainha

A comunidade católica de Chã das Caldeiras, ponto mais alto de Cabo Verde, celebra no próximo domingo, 14, as festividades da Nossa Senhora Rainha, padroeira da localidade.

Além das actividades de carácter religioso, que anualmente se celebra no segundo domingo de Julho, este ano associado a estas actividades está programado um conjunto de outras acções culturais, nomeadamente uma noite cultural a realizar no sábado.

Para esta actividade cultural, segundo o vereador da Câmara de Santa Catarina do Fogo, Madueno Andrade, prevê-se a actuação de grupos de Chã das Caldeiras como “Tchan Love”, “tropa”, Camilo e António e a sua banda, mas também os grupos “Show de Pina”,” um bem de longe e Deriony”, assim como a actuação de Ney, um jovem de Santiago.

O vereador disse que devido ao acidente de viação ocorrido na última segunda-feira envolvendo uma viatura de Chã das Caldeiras e que terá provocado dois mortos, sendo um jovem desta localidade e outro de Tinteira, é provável que as actividades culturais sejam canceladas, mas adianta que é uma decisão a ser tomada pela equipa e por isso tudo indica que as mesmas vão ser realizadas.

Na véspera, no dia 13, o Governo inaugura a reabilitação da estrada Cova Tina a Bangaeira (Chã das Caldeiras), assim como a primeira fase do complexo do ensino básico integrado (jardim infantil) e o lançamento das obras de construção das redes técnicas e viárias da referida localidade.

A estada Cova Tina/Portela/Bangaeira tem pouco mais de 11 quilómetros (11.260 metros) e permite desencravar a localidade turística de Chã das Caldeiras.

Inforpress/Fim

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)