quarta-feira, 23 outubro 2019

C Cultura

Presidente do IPC visita ilhas do Fogo e Brava no quadro da coordenação do eixo IV do PRRA

O presidente do Instituto do Património Cultural (IPC), Hamilton Fernandes, desloca-se hoje às ilhas do Fogo e Brava, no âmbito da coordenação do eixo IV do Programa de Requalificação, Reabilitação e Acessibilidade – PRRA.

Esta visita, que terá a duração de quatro dias, segundo uma nota de imprensa, vem na sequência dos levantamentos arquitectónicos feitos para elaboração dos projectos de intervenção na Praça 4 de Setembro (Fogo) e Casa Eugénio Tavares (Brava), orçadas em 8294 e 5670 mil contos, respectivamente.

Nestas visitas, o presidente Hamilton Fernandes, que faz-se acompanhar do arquitecto Adalberto Fernandes, apresentará às edilidades locais o ponto de situação em relação aos projectos, além de prestar assistência técnica, solicitada pelo Ministério das Infraestruturas, do Ordenamento do Território e Habitação, no âmbito do Eixo III -Regeneração dos Centros Urbanos, sendo que, os centros históricos de São Filipe e de Nova Sintra gozam do estatuto do Património Nacional.

A praça 4 de Setembro foi inaugurada por volta de 1930 e baptizada de Praça de João Pais Vasconcelos, denominada Praça 4 de Setembro no pós-independência.

A Casa Eugénio Tavares localiza-se no centro histórico de Nova Sintra e acolhe neste momento o museu da Brava.

A nota salienta ainda que a reabilitação desses edifícios está enquadrada no plano nacional de reabilitação do património histórico e religioso, traçado pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, através do IPC e é financiada pelo Governo, através do PRRA.

MC/CP

Inforpress/fim

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)