23-10-2018

C Cultura

Câmara dos Mosteiros homenageia co-fundador do festival de praia Lantcha

A Câmara Municipal dos Mosteiro homenageia, no quadro das festas do Dia do Município, o co-fundador do festival musical de praia Lantcha o artista João Rodrigues Miranda, falecido em Setembro do ano passado nos EUA.

A decisão de homenagear este artista, também conhecido por Eugénio Mimi, e uma das “figuras de proa” da arte e da cultura dos Mosteiros, sobretudo no campo da música, foi tomada esta semana, através de uma deliberação saída da sessão ordinária da autarquia, e num ano em que o festival assinala as bodas de prata.

O homenageado nasceu nos Mosteiros a 08 de Setembro de 1965 e faleceu a 27 de Setembro de 2017, nos Estados Unidos, país onde residiu durante 17 anos, tendo durante o seu percurso como artistas gravado dois trabalhos discográficos, ‘Nhá Sonho’, em Portugal, onde residiu durante cerca de quatro anos, e ‘Criolu’, nos Estados Unidos.

Juntamente com outros amigos, entre os quais Jaime Monteiro, vereador na Câmara Municipal dos Mosteiros, fundou o festival de Praia Lantcha, em 1994, tendo igualmente criado o grupo musical “Sete Estrelas”.

Projectou vários jovens músicos dos Mosteiros e foi treinador de karaté e um dos membros fundadores da equipa de Cutelinho Futebol Clube.

Homem de muitos ofícios, ficou também conhecido como técnico de electrónicos, tendo trabalhado como electricista na Comissão Instaladora do Município dos Mosteiros, nos anos 90.

Com a homenagem, a edilidade dos Mosteiros reconhece a contribuição dada por Eugénio Mimi para o desenvolvimento dos Mosteiros, sobretudo no domínio cultural.

Assim, a edição deste ano das festividades do Dia do Município dos Mosteiros e da sua santa padroeira, Nossa Senhora da Ajuda, cujo ponto alto decorre entre 08 e 15 de Agosto, vai prestar homenagem a esta figura.

 

Com Inforpress

Comments fornecido por CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)