sexta-feira, 20 maio 2022

N Notícias

Câmara dos Mosteiros pretende mobilizar mais de 50 mil contos para reabilitar rede de escolas e jardins

A Câmara Municipal dos Mosteiros pretende mobilizar 50 a 70 mil contos junto de parceiros internacionais para a reabilitação da rede de escolas e jardins infantis do município, revelou o presidente da câmara, Fábio Vieira,

Neste momento, segundo a mesma fonte, a equipa camarária está em contacto com a ONG luxemburguesa Beetebuerg Helleft, a mesma que financiou a reabilitação das escolas dos municípios de São Filipe e Santa Catarina do Fogo, e há “abertura e disponibilidade” da mesma para apoiar a autarquia na reabilitação de escolas.

A nível local já se fez o levantamento das necessidades da reabilitação da rede de jardins infantis e escolas do Ensino Básico Obrigatório e a orçamentação, estando a ultimar o dossiê para submeter à ONG para análise e validação.

Fábio Vieira disse que ainda no decurso deste mês, uma delegação desta ONG estará de visita à ilha do Fogo para acompanhamento das obras de reabilitação das infraestrutura escolares nos municípios de Santa Catarina do Fogo e São Filipe.

A autarquia vai aproveitar a oportunidade para promover um encontro para falar dos meandros de uma futura parceria entre o município e a ONG, visando a criação de condições para reabilitação das escolas e jardins infantis.

Fábio Vieira disse ainda que a questão da reabilitação das escolas foi um dos assuntos partilhados com o ministro da Educação que se encontra de visita à região Fogo/Brava.

“O estado avançado da degradação de escolas e a necessidade de envidar esforços para mobilizar recursos para superar este problema, e a existência de algumas salas desactivadas e que estão abandonadas” foram as preocupações manifestadas.

Em relação às salas desactivadas e abandonadas, das quais duas em Pai António e uma no Corvo, a câmara solicitou a posse útil das mesmas para serem reabilitadas e transformadas num espaço público, sobretudo para instalação de casas de juventude e centros de atendimentos psicológicos dos jovens em situação de riscos.

O ministro da Educação, Amadeu Cruz, que terminou na tarde de quinta-feira a sua visita à ilha do Fogo, considerou que “globalmente há um parque escolar razoável na ilha do Fogo”, tendo classificado de “muito bom” a situação de Santa Catarina e “bastante bom” em São Filipe.

“Nos Mosteiros temos de intervir em duas ou três escolas, quase que em regime de urgência”, reconheceu Amadeu Cruz, lembrando que o Governo tem tido intervenção em várias escolas e que no ano lectivo anterior, gastou mais de 300 mil com a reabilitação de escolas.

Mesmo assim, avançou, “não foi possível reabilitar todas as escolas, mas vamos continuar a trabalhar para ter um parque requalificado para atender as necessidades da qualidade de ensino na ilha”.

Amadeu Cruz indicou ainda que o seu ministério está em articulação com a câmara dos Mosteiros e as demais câmaras da região no sentido de mobilizar financiamento da cooperação internacional para continuar a melhorar as infraestrutura.

O titular da pasta da Educação priorizou visitas às escolas mais degradadas e aquelas que necessitam de intervenção o ministério pode mobilizar recursos para a reabilitação, nomeadamente a intervenção de emergência, porque algumas necessitam de uma intervenção muito profunda.

Este tipo de intervenção precisa de mais tempo para mobilizar recursos e para a reabilitação das escolas de Feijoal e Ribeira do Ilhéu são necessários aproximadamente 17 mil contos.

“No próximo ano lectivo as condições estarão melhoradas, mas a escola poderá ainda não estar totalmente requalificada”, disse.

Inforpress/Fim

Comments powered by CComment

Agenda/Eventos

No events

Diáspora

Crónicas

Carta do Leitor

Guia Turístico

Inquérito

Nothing found!

logo fogoportal white

Um espaço privilegiado de convívio, de diálogo, de divulgação de opiniões acerca de tudo o que tem a ver com a Ilha do Fogo; um canal de ligação e de “mata sodadi” de todos os foguenses espalhados pelo mundo fora e que se preocupam com o desenvolvimento do seu torrão natal. (Editorial)